ECOS

ECOS
Chittorgarh-India

terça-feira, 20 de julho de 2010

224> LÍRIOS DE FOGO BRANCO *

Meus irmãos os filhos da integração total
Sussurrando historias de tempos de outrora
Viajaram de onde vos dizeis ser longe
Em um tempo que também direis passado
Puros como aquele inseto em minha janela

Os que te ensinarão a ver sem mente
E te dirão como dizer sem palavras
Onde antes tudo parecia solido
Onde antes tudo parecia real
O estar e saber em todos os lugares
Só depende das lentes que escolheis
Vossas mentes projetam vosso mundo

Se passado, presente e futuro se encontram
Então todos os lugares possíveis são ilusórios
Se nas Plêiades é verão, eu sei
Se há dor em meus irmãos, eu saberei
E quando tudo se projetou, eu soube
Nas ondas de uma gota que cai na água

Hora de despir a mascara dourada
Forjada na mais bela Andrômeda
A teia que une e embaraça tua dimensão
Holograma de três raios da realidade
Veja o quinto raio eclodir como lírios
Ainda tímidos como brotos na primavera

Qual será vossa real imagem
Se tudo não é o que parecer ser?
Qual será o nosso destino final
Se tudo flui, se encontra e se uni?
De repente tudo se torna grande
De repente tudo se torna único
Pois esse de repente sempre foi
E também sempre o será


Recife(astral),20 de julho de 2010

Um comentário:

  1. "De repente tudo se torna grande
    De repente tudo se torna único"

    Adorei

    ResponderExcluir